Exame do sistema genital dos animais
Download

Palavras-chave

Exame ginecológico, exame andrológico, fertilidade.

Como Citar

1.
Dalmazzo A, Ferrari S. Exame do sistema genital dos animais. bjns [Internet]. 13set.2019 [citado 5dez.2019];2(3):202. Available from: http://www.bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/71

Resumo

O exame completo e exato do sistema genital é de fundamental importância para o diagnóstico e tratamento das afecções reprodutivas. Além disso, o exame ginecológico tem por finalidade detectar a fase do ciclo estral, a gestação e causas da infertilidade da fêmea. O exame andrológico é realizado para atestar o potencial reprodutivo do macho, além de diagnosticar as causas da impotência coeundi e generandi. O exame ginecológico se inicia com a anamnese, seguida pelo exame clínico geral, exame específico externo ( avaliação da vulva e vestíbulo) e exame interno (palpação retal de cérvix, útero e ovários em grandes animais e vaginoscopia) . Os exames complementares são de grande auxílio para o diagnóstico, e consistem  em ultrasonografia de útero e ovários, citologia vaginal em pequenos animais, exame histológico, microbiológico, testes sorológicos e dosagens hormonais. A anamnese  e o exame clínico geral também são as primeiras etapas do exame andrológico, seguido de exame específico do sistema reprodutor externo (inspeção e palpação de escroto, testículos, epidídimo, funículo espermático e medição da circunferência escrotal)  e interno ( palpação retal das glândulas anexas), teste de libido, espermograma e por fim exames complementares como ultrassonografia de glândulas anexas e testículos, sorologia, PCR, testes hormonais, exame microbiológico do sêmen além de testes funcionais dos espermatozóides.

https://doi.org/10.31415/bjns.v2i3.71
Download

Referências

1. Grünert E, Gregory RM. Diagnóstico e terapêutica da infertilidade na vaca: Sulina; 1984.
2. Feitosa FLF. Semiologia Veterinária : a Arte do Diagnóstico : Cães, Gatos, Eqüinos. 2 ed: ROCA; 2008.
3. Radostits OM, Houston DM, Mayhew IG. Veterinary Clinical Examination and Diagnosis: W.B. Saunders; 2000.
4. Kähn W. Ultrasonography as a diagnostic tool in female animal reproduction. Animal Reproduction Science. 1992;28(1–4):1-10.
5. Medan MS, Abd El-Aty AM. Advances in ultrasonography and its applications in domestic ruminants and other farm animals reproduction. Journal of Advanced Research. 2010;1(2):123-8.
6. Nielsen JM, Nielsen FH, Petersen MR. Diagnosis of equine endometritis – Microbiology, cytology and histology of endometrial biopsies and the correlation to fertility. Pferdeheilkunde. 2012;28(1):8-13.
7. Barcellos DESNd, Marques BMFPP, Mores TJ, Centenaro F, Sobestiansky J. Uso de perfis sorológicos e bacteriológicos em suinocultura. Acta scientiae veterinariae Porto Alegre, RS. 2009.
8. Alfaro CEP. Importância da avaliação andrológica na seleção de reprodutores a campo. Rev Bras Reprod Anim. 2011;35(2):152-3.
9. Barbosa R. A importância do exame andrológico em bovinos: Embrapa Pecuária Sudeste; 2005. 13 p.
10. Cunha I. Exame andrológico do cão. Jornal Brasileiro de Ciência Animal. 2008;1(1):49-65.
11. Johnston SD, Kustritz MVR, Olson PS. Canine and Feline Theriogenology: Saunders; 2001.
12. Johnson A, Gomes W, Vandemark N. The testis. Volume I. Development, anatomy and physiology. The testis Volume I Development, anatomy and physiology. 1970.
13. Colégio Brasileiro de Reprodução Animal. Manual para exame andrológico e avaliação do sêmen animal. 3 ed. Belo Horizonte: CBRA; 2013.
14. Paz RCR, Leme DP, Züge RM, Pessuti C, Santos EF, Barnabe RC. Citologia aspirativa por agulha fina (CAAF), em testículo de onça pintada (Panthera onca), utilizada como ferramenta no diagnóstico de infertilidade. Braz J vet Res anim Sci. 2003;40:2.
15. Hafez B, Hafez ESE. Reprodução animal. 7 ed: Manole; 2004.
16. Arruda RP, Celeghini EDC, Alonso MA, Carvalho HF, Oliveira LZ, Silva DF, et al. Métodos de avaliação da morfologia e função espermática: momento atual e desafios futuros. Revista Brasileira de Reprodução Animal.35(2):145-51.
17. Pope CE, Zhang YZ, Dresser BL. A simple staining method for evaluating acrosomal status of cat spermatozoa. Journal of Zoo and Wildlife Medicine. 1991:87-95.
18. Campbell R, Dott H, Glover T. Nigrosin eosin as a stain for differentiating live and dead spermatozoa. The Journal of Agricultural Science. 1956;48(01):1-8.
19. Parks JE, Graham JK. Effects of cryopreservation procedures on sperm membranes. Theriogenology.38(2):209-22.
20. Hrudka F. Cytochemical and ultracytochemical demonstration of cytochrome c oxidase in spermatozoa and dynamics of its changes accompanying ageing or induced by stress. International journal of andrology. 1987;10(6):809-28.
21. Ribeiro D, Pessoa MM. Mitocôndria espermática: além da síntese de adenosina trifosfato (ATP). Rev Bras Reprod Anim 2008;32(2):93-9.
22. Donnelly ET, O'Connell M, McClure N, Lewis SEM. Differences in nuclear DNA fragmentation and mitochondrial integrity of semen and prepared human spermatozoa. Human Reproduction. 2000;15(7):1552-61.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.